UMA VASSOURA EMPRESTADA

Há uma semana, estava eu muito descansada no meu quarto, quando entrou uma bruxa medonha, montada numa vassoura....entrou uma bruxa medonha... Fiquei assustada, mas ela sorriu e disse-me:
- Não tenhas medo, estou encarregada de uma missão: todos os anos, próximo do Dia das Bruxas, empresto a minha vassoura aos jovens para que nos conheçam melhor e festejem esse dia tão especial, o nosso dia. Mas tens de passar desapercebida, senão corres um risco grave!
Eu fiquei espantada, nem consegui agradecer, pois a bruxa saiu tão misteriosamente como tinha entrado.
Até me esqueci da recomendação, tal era a excitação.A vassoura mágica
Vesti o casaco, abri a janela e montei-me na vassoura.
Era tão bom voar! Voar como um pássaro!
Primeiro sobrevoei a cidade, que estava em grande animação; monstros horrendos, vampiros, e principalmente bruxas, dançavam e moviam-se nos espectáculos e bailes.

Depois afastei-me um pouco mais. Que calmo era o campo! Calmo e silencioso, só se ouviam os grilos e o canto de um rio próximo. Pousei um pouco e espreitei pela janela de um casebre, mas senti uma mão agarrar-me.Era a bruxa! Era a bruxa!
- Eu não te disse que tivesses cuidado? Se te descobrem, estamos tramadas!, disse ela.
Fiquei envergonhada, porque queria dar boa impressão à bruxa, mas ela desculpou-me.
A seguir visitei três países - e os que mais queria visitar!

Paris         Escócia        China   

França, Escócia e China!A bruxa mostrou-se uma óptima companheira! Claro que fui com a bruxa, que se mostrou uma óptima companheira. Vimos muitos monumentos, mas quando voltei a casa estava mais do que exausta.
Que noite!

(História escrita por MARIA ASSIS DA CRUZ FERNANDES FERRERA (9 anos) publicada no  "Terra do Nunca", Ano IV, nº 289 - 15SET2002)

(voltar)