(versão integral)

FÉRIAS INESQUECÍVEIS 

Tenho 5 amigos, a Mary, a Jenny, o Will, o Jim, o Mike; e eu sou a Gwen.
Já à algum tempo que juntávamos dinheiro para irmos todos acampar a um sitio quente e com belas praias para tomarmos banho.
Aqui, em Estocolmo (Suécia), está sempre frio e nós, raramente vamos à praia.
Nestas férias, combinámos que iríamos para o Algarve, em Portugal, porque dizem que lá faz muito calor e existem boas praias. E assim foi!
Conseguimos a autorização dos nossos pais, depois de muito implorar, e claro, dar-lhes muitos mimos, do género:

Fazer as compras da mãe, lavar o carro do pai, tomar conta da irmã mais nova, não discutir com o irmão mais velho, etc. ...
Ficou então marcado para o dia 12 de Agosto e nós mal podíamos esperar.
Finalmente era dia 12. Saímos ainda de noite, com as mochilas, sacos-cama, tendas e tudo o que era necessário para uma grande aventura num País por nós desconhecido.
Chegámos ao aeroporto muito entusiasmados, despedimo-nos dos nossos pais e entrámos no avião. As coitadas das hospedeiras já não nos podiam ver, pois nós não parávamos quietos nem um segundo, mas admito que estávamos realmente a fazer demasiado barulho. Mas também, elas não tinham outro remédio senão aguentar-nos; afinal estávamos num avião, e  nem nós nem elas podíamos sair dele.  
Ao fim de algumas horas chegámos ao aeroporto de Faro. Sentimos o calorzinho mal saímos do avião. Pegámos todos nas mochilas, mas a pobre Mary não encontrou a sua e tivemos que ir falar com umas funcionárias do aeroporto para nos ajudarem a procurá-la. Perdemos uma série de tempo, mas conseguimos encontrá-la.
Chamámos um táxi e fomos para o parque de campismo de Albufeira. Na recepção, despachámo-nos o mais rápido possível e fomos escolher o sitio para montar as tendas.
Foi muito divertido estarmos a montá-las, a contar piadas e a relembrar que estavam 6 adolescentes, quase adultos mas ainda mal comportados e meio malucos, num país sozinhos.
Depois de tanto trabalhar ficámos ainda com mais calor e fomos tomar banho à praia.
À noite voltámos a chamar um táxi; pedimos para nos levarem a um sitio bem divertido e fomos parar a umas ruas cheias de lojinhas. Comemos crepes, gelados, algodão doce e outras guloseimas.
Assim se passaram os dias, cada um mais divertido que o outro, até deu para ir a uma festa de espuma que foi super divertida.
Num dos dias, àss tantas da noite, deu-nos na cabeça que tínhamos de ir tomar banho à piscina do parque, trepámos o portão e lá fomos. Mas veio um guarda e deu-nos um raspanete. Fartámo-nos de rir com ele, o coitado não tinha culpa, mas o seu bigode era ridículo e como se não bastasse, ele era daquelas pessoas que quando se zangam ficam muito cómicas. 
Foi uma semana realmente divertida, das coisas que mais nos faziam rir eram os nossos cozinhados, nenhum de nós sabia cozinhar, mas lá íamos comendo ou massa com atum  ou arroz com ovos, eram as únicas coisas que saiam em condições de se comer.
Chegou o dia de ir para Estocolmo, ainda não tínhamos saído do Algarve e já tínhamos saudades dele.
Foi uma semana incrível que esperamos repetir um dia.


Colori, colorado, está o conto acabado!

   

(História escrita por INÊS GIL - 12 anos - no ano de 2003)

VOLTAR