(versão integral)


A LENDA DO MENINO DA GRALHA

Do tempo em que o Forte da Ilha do Pessegueiro era ocupado pelos Mouros se conta esta lenda.
Um capitão mouro vivia no referido forte com um grupo de soldados, sua mulher e filhos. Tinha a seu cargo a defesa da fortaleza e o treino dos seus soldados. Sonhava ele fazer do filho (criança de 8 anos), um grande guerreiro, corajoso e forte, destemido e sanguinário.
Porém o menino detestava as armas e fugia aos treinos a que o pai o submetia.
Gostava muito de brincar e tinha um coração bondoso, tanto para com a gente como para  todos os animais. Afeiçoou-se de tal maneira a uma gralha, que era ela o seu passatempo favorito. Onde estava o menino lá estava o pássaro; o pai, enfurecido do seu desinteresse pelas artes da guerra, ameaçou-o de matar a gralha se ele não deixasse de brincar com ela.
Então, uma noite quando todos dormiam o menino, pegando na sua companheira gralha, resolveu fugir para que o pai não matasse a sua amiguinha.
Muitos dias se passaram. Todas as buscas foram em vão pois não encontravam o pobre menino.
Chorava a mãe, arrependia-se o pai.
Quando voltaram a ver o filho, já ele estava morto junto a uma fonte num vale, com a sua amiga gralha pousada no seu corpo, morta também.
Desde aí aquela fonte ficou conhecida como  a "Fonte da Gralha".


Nota: Esta fonte encontra-se debaixo da água da nova barragem, construída na herdade da Cabeça da Cabra e muita gente, ali residente, se lembra perfeitamente dela.

Colori, colorado, está o conto acabado!


(in “Página do Concelho de Sines” em  http://www.alentejodigital.pt/sines/index.htm)  

VOLTAR