(versão integral)


Lendas do Cabril e do Lugar da Presa
(Sardoal)

Os Mouros, segundo nos disseram, viveram no Cabril, lugar que teve o nome de Penedo da Moura. Dizem que viviam lá, mas ninguém os via. Quando vinham às compras à povoação ninguém os via. As pessoas que viviam no povoado iam lá levar a estopa para fiar e deixavam o dinheiro e no outro dia iam buscar a estopa, que já estava fiada, pois os Mouros a fiavam de noite.
Diz-se que os Mouros deviam fazer uma grande ponte maciça. Esta ponte só podia ser feita de noite. Eram as Mouras que levavam as pedras à cabeça e só o podiam fazer de noite.
A ponte deveria ser feita do Penedo da Moura ao outro Penedo, mas como a ponte era maciça (entenda-se, sem espaço para o escoamento das águas) as águas formariam uma grande represa que iria invadir toda a povoação.
Ao ver que aquilo ia ser uma grande catástrofe, Nossa Senhora veio um dia falar com os Mouros. Nossa Senhora parou a meio da Serra onde deixou o seu burrinho. Deu-se o nome de Sapatinha da Burrinha ao sítio onde o burrinho esteve parado, porque naquele sítio ficou gravada numa pedra a sapatinha do burrinho. Nossa Senhora veio dizer aos Mouros que eles não podiam fazer a ponte, pois iriam destruir todas as terras das redondezas, devido à grande represa que ali se iria formar. E eles não a fizeram. Deu-se o nome de Presa à Aldeia que se situava mais perto, devido a essa represa.
Na ribeira, junto aos lavadouros existe uma pedra que, segundo dizem, foi uma Moura que a deixou cair. A Moura levava a pedra à cabeça, levava um menino ao colo e ia a fiar.
No Penedo da Moura há uma saia encantada, que segundo dizem já tem muitos buracos, pois passam lá muitas pessoas e muito gado. Quem sonhasse três noites com a saia podia ir lá buscá-la e ou trazia a saia ou morria, pois estava lá uma serpente a proteger a saia e matava as pessoas que lá fossem buscá-la.
No sítio onde estava a saia, de noite via-se uma luz, mas a luz ia desaparecendo à medida que as pessoas se iam aproximando.



(Trabalho elaborado no âmbito da Ocupação dos Tempos Livres, pela Fátima, Paula e Lurdes, publicado no Boletim "ALCARAVELA - UMA VOZ", nº 2, de Setembro de 1986 - Sardoal)

VOLTAR