(versão integral)


O PINGUIM APRENDE A SALTAR

Era uma vez um cavalinho castanho.
O seu nome era Pinguim. Ele era muito alegre e gostava de saltar mas, como era pequenino, não o podia fazer. Mas tinha muitos amiguinhos que gostavam de montar nele e trotar através dos campos ou pelas alamedas floridas. E que satisfação isso dava às crianças!
Uma vez experimentou saltar a cerca do quintal, mas tropeçou e feriu o focinho... Por isso desistiu!
Os seus donos eram a Guidinha e o Toninho. Eles tratavam o Pinguim com muito carinho. O Toninho sentia grande alegria quando montava o Pinguim e ele galopava mais rápido que o vento. Então, imaginava-se comandante de um poderoso exército, ou caçador perseguindo leões e veados...!
A Guidinha sentava-se na relva, imaginando o Pinguim, crescido, a saltar com perfeição! Para isso, todos os dias a Guidinha e o Toninho ensinavam o Pinguim a saltar obstáculos. O Pinguim olhava, intrigado, para todos aqueles pauzinhos coloridos e pensava:
- Serão para mim?
Postos os obstáculos, a Guidinha pôs um pé no estribo e saltou, volteando sobre o selim. Vagarosamente, passeou todo o campo, permitindo ao Pinguim examinar todos os obstáculos. «Salto-os com os olhos fechados», pensou o Pinguim com desdém. Da cancela, o Toninho suplicou:
- Deixa-me experimentar!
A Guidinha, encurtando as rédeas, segredou-lhe:
- Anda, vamos, eu sei que tu podes!
O Pinguim saltou-os todos depressa e bem. «Como ele é esperto!» disse para si a Guidinha com orgulho. E de todas as vezes que treinavam o Pinguim, os obstáculos eram postos mais alto. Um dia, o Toninho e a Guidinha apareceram mais cedo para escovar e pentear o Pinguim. Que se iria passar?
«Eu pergunto a mim próprio o que estarão eles agora a planear», pensou o Pinguim.
E a verdade é que...
O Pinguim entrou no maior campo de corridas que ele jamais sonhara. Havia ali muita gente. Logo que a Guidinha montou o Pinguim, este saltou os obstáculos todos, parecendo voar por cima deles.


No final da corrida, quando lhe puseram na cabeça a roseta de vencedor, o Pinguim foi o cavalinho mais feliz do mundo!


Colori, colorado, está o conto acabado!


(Espero que tenham gostado desta história. Eu adoro cavalos e logo que tenha mais idade vou para a equitação!
Nota da Inês: Agora, em 2000, já estou na equitação.)

VOLTAR