(versão integral)

 

      O MARINHEIRO, O GATO E O VELHO

Há muitos anos atrás, havia um marinheiro muito novo que gostava muito de navegar pelos mares. Mas a cada dia que passava ia ficando mais triste porque sentia que lhe faltava algo mais para ser feliz, e decidiu fazer uma grande viagem, que tinha como destino o acaso.
Ele lá partiu levando consigo uma longa trouxa e, ao fim de uns dias, foi parar a uma ilha, que por certo devia estar deserta. Quando desembarcou, encontrou uma garrafa com um papel lá dentro, e quando o desdobrou viu que era um mapa de um tesouro. De momento, pensou que podia ser de qualquer outra ilha, mas depois de o observar bem, é que reconheceu alguns "pontos" iguais.
Descarregou a sua trouxa e montou uma tenda para se abrigar. No outro dia de manhã, quando acordou, descobriu que não estava sozinho , porque estava a ver o fumo daquilo que pareciam ser muitas fogueiras do outro lado da ilha, e como não tinha nada para fazer, decidiu ir até lá ver o que era aquilo. Quando já só faltava passar uns arbustos, ele desatou a correr, parando rapidamente e ficando perplexo com o que acabara de ver. O fumo era de um gato gigante, que o deitava pelas orelhas, porque estava enervado por estar cheio de fome e não conseguir apanhar nem um peixe para comer.
O gato, de facto, não conseguia apanhar nenhum peixe porque tinha medo da água, pelo que só molhava as patas. Então o marinheiro decidiu ajudá-lo, se ele o ajudasse a procurar o tesouro.
O marinheiro lá foi ao mar, e apanhou muitos peixes, tantos que nunca tinha visto de uma vez só. O gato ficou muito contente e passou a ir todos os dias com o marinheiro, para o ajudar a procurar o tesouro. Entretanto, o marinheiro ia apanhando peixes para o gato comer.
Num dia, enquanto andavam à procura do tesouro, apareceu um velho, como que por magia, e perguntou o que estavam ali a fazer, ao que eles responderam logo que andavam à procura de um tesouro. Quando o velho ouviu a palavra "tesouro", arrebitou logo as orelhas e fingiu-se muito cansado para que o gato o transportasse, para poder ir com eles à procura do tesouro.
Um dia, depois de muito procurarem, acharam o tesouro, que estava escondido por baixo de uma pedra. Quando o marinheiro abriu o baú, o velho empurrou-o para o lado, cheio de curiosidade, e disse que aquilo era tudo dele, ameaçando o marinheiro com uma espada. O marinheiro, receando perder a vida, disse logo que sim, mas o velho esqueceu-se do gato gigante que estava atrás deles. Como o gato gostava muito do marinheiro, deu uma patada ao velho, que logo o fez cair ao chão.
Deixaram então o velho sozinho na ilha e regressaram com o tesouro, com que o marinheiro comprou uma casa muito grande, e também muitos peixes para o gato.


Colori, colorado, está o conto acabado!


(Marta Cristina A. Guerreiro, 10º D1, nº 12, ESPAM e Prof. Ana Paula de Carvalho
in "O Leme", 2ª Quinzena de Maio/98, Ano XV, nº 255)

VOLTAR